Projetos capacitam atuação de mulheres na construção civil

Projetos capacitam atuação de mulheres na construção civil

Alunos da Universidade de São Paulo (USP), no Campos de São Carlos, desenvolveram um projeto para ensinar mulheres a desenvolverem pequenos reparos domésticos e serviços na área da construção civil.

O projeto tem como objetivo empoderar as mulheres do município que vivem em situação de vulnerabilidade, permitindo que elas tenham autonomia financeira através da realização desses trabalhos.

Com o nome de Mulheres à Obra, o programa de capacitação irá ensinar serviços elétricos, hidráulicos, civis e de marcenaria por meio da organização internacional e sem fins lucrativos Enactus, que fomenta o empreendedorismo social dentro das universidades.

Além deste projeto da USP, há outros cursos de capacitação focado para mulheres com o objetivo de prepara-las para os trabalhos na construção civil. No Rio de Janeiro temos o projeto Mão na Massa, que já capacitou mais de 1.000 mulheres.

No Rio Grande do Sul, a ONG Mulher em Construção já conseguiu atender 4.000 mulheres, ensinando ofícios de pedreiras, pintoras, azulejistas, ceramistas e eletricistas.

Número de mulheres na construção civil aumenta a cada ano

O mercado da construção civil tem visto aumentar o número de mulheres que estão atuando na área. Entre 2007 e 2009 a contratação de mulheres na construção civil deu um salto de 44,5% e hoje o número de profissionais passa de 200 mil mulheres.

Os cursos de engenharia civil também começam a receber mais mulheres, hoje cerca de 30% dos alunos nas universidades para este curso são mulheres.

Cursos como o Mulheres à Obra e similares são importantes para aumentar a quantidade de mulheres no setor e por oferecem uma profissão para quem está em situação vulnerável, precisando de qualificação profissional para ter uma renda.

Com o tempo veremos ainda mais mulheres atuando no setor, exercendo diversos trabalhos nas obras, tornando a construção civil um ambiente equiparado entre homens e mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *